segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Amor


Assustador atravessar pequenos e longos caminhos vendo apenas dores á alma de certa forma, durabilidade terá também se permitirmos.
Bailar, dançar, balançar o corpo faz vibrar sem dúvida o afastamento da dor próxima.Gritar seria uma solução para aplicar uma transparência de dever feito, trabalhado, lutado, conseguido. A elegância, os bons modos impedem.
Falar palavrões não é necessário, docemente pronunciar meu amor, carinho meu, minha vida, criação do meu coração é muito mais prazeroso.
Terrivelmente alcança a razão atos dolorosos e dinâmicos se for pensar na vida em nosso cotidiano.
Conhecimentos aos poucos para uma fonte de água viva e seria mesmo um sonho imortal.
Imortabilidade existe sim, pois se encontra nos segredos e desejos que faz parte da vontade de um ser andante e pensante dançando aos toques das dores ou gritando ao som de pedidos de socorros.
Revelar um desejo é muito belo desde que não seja escândalo para a percepção de materializar luzes como do arco íris.
Se deitar debaixo de uma árvore, ouvir o som de uma concha, sentir o vento balançando os cabelos em uma montanha, ver os dons de todos são pequenas coisas e ao mesmo tempo imensos para aqueles que valorizam os presentes de DEUS.
Ouvir ao longe músicas e se balançando como caminhando ao encontro da imortabilidade mencionada, esta é a questão.
Balançando ou caindo depende onde se encontra a motivação de ter ambiente sem amarras e livremente.

Um comentário:

Mateus Luciano disse...

adorei,cada dia mais adoro mais seu jeito de escrever as coisas sao simples no seu modo de escrever...