quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Pronto.


Necessário poder e dever ser uma forma de expressar as boas vindas a novos estudantes. Afirmação de que gostem logicamente e ter um visto positivo é o trote feito com afeto, uns gostam do contrário, tudo tem o dever de mudar um dia. Sem traumas, os guias com segurança vão virar as costas e permitir acontecer.
Ainda ontem passa pela cabeça dos jovens extravasar algo preso como humilhações; ter de continuar fazendo com outros tipos vingança, uma tortura incabível aceita por uns para não ficar de fora, só participar.
Sugestionaria preparar uma festa surpresa com todos os presentes e muitos balões, balas, pirulitos, o que uma criança adoraria, vão engatinhar, aprender, para depois se chegar ao objetivo.
Na minha simplicidade, na minha ignorância, com pouca inteligência posso perceber tal fato e por diante dos meus queridos presentes filhos; conforme comportamentos destes seres sobreviventes desta guerra.
Definitivo falar bem curto agora: tem de melhorar

2 comentários:

Mateus Luciano disse...

a realidade irrefutavél.

Harold disse...

Querida Ana!
Infelizmente trote nas universidades virou sinônimo de bagunça consentida. Não deveria ser assim.
O trote poderia ser uma festa de confraternização que incentivasse os esrudantes calouros e demais a realizar alguma ação que fosse benéfica para a sociedade. Infelizmente,não é assim.
Espero que uma dia a coisa seja feita com civilidade e respeito.
Beijos e saúde!!!!